Alzheimer e Agressão: 7 Conselhos Práticos

Uso de medicamentos para gerenciar comportamentos agressivos em pacientes com demência é considerado muito controverso. 

Os médicos tentaram usar medicamentos antipsicóticos tradicionais (de primeira geração), como Mellaril® (tioridazina) e Haldol® (haloperidol), mas sua eficácia foi limitada e apresentou alguns efeitos colaterais desagradáveis, como vômitos e náuseas. 

Os antipsicóticos atípicos ou de segunda geração (como Seroquel® e Risperdal®) foram considerados mais eficazes na redução de problemas comportamentais, mas não foram aprovados pelo FDA (agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos) para uso em pacientes com demência. 

De fato, o FDA emitiu um aviso em abril de 2005 sobre antipsicóticos “atípicos” (segunda geração) em pacientes com demência. O aviso afirma que pacientes mais velhos tratados com antipsicóticos atípicos para demência tiveram maior risco de morte do que pacientes que não tomaram o medicamento.

Felizmente, as drogas não são a única resposta. Existem outras maneiras de melhorar sua situação. A seguir, estão algumas técnicas e estratégias que ajudaram muitas pessoas a cuidar com sucesso dos pacientes com Alzheimer e gerenciar casos de agressão de Alzheimer:

Confira abaixo 7 conselhos práticos para lidar com alzheimer e agressão:

1 – Uso de Etiquetas de Identificação

  • Coloque placas nas salas para dizer para que servem, 
  • coloque etiquetas nos convidados quando visitarem
  • coloque etiquetas em itens comuns, como relógios e telefones. 
  • Grave frases explicativas nas portas ou armários para dizer o que está dentro.
  • Aprenda quais são os gatilhos que ativam a memória de seu idoso.

Depois de identificar situações que freqüentemente causam transtornos, você pode trabalhar para obter transições suaves. Se seu ente querido não gosta de sair de casa, por exemplo, você pode seguir o processo passo a passo. As ações para encerrar naturalmente as atividades atuais, levantar-se, calçar sapatos e casaco, etc., podem ser introduzidas seqüencialmente enquanto você distrai a pessoa com conversa fiada.

2 – Valide seus sentimentos

  1. Diga à eles que não há problema em ficar frustrado, triste ou sozinho.
  2. Use um tom suave e tranquilizante. Os estudos provam consistentemente que isso funciona. 
  3. Sempre sorria e mostre gentileza, seu rosto é um sinal importante de que está tudo bem.

3 – Siga uma rotina regular

Isso ajudará a minimizar o número de eventos inesperados e estressantes.

Ignore o comportamento irritado de distração e suporte não funciona. Se a situação estiver ameaçadora, verifique se é improvável que ele se machuque e fique calmo até que ele se acalme.

4 – Manter um senso de humor

“Antecipar que haverá altos e baixos, e manter a paciência, a compaixão e o senso de humor ajudará você a lidar com mais eficácia com comportamentos difíceis”, diz Catherine Johnson, PhD, psicóloga especializada em demência. “É importante lembrar que é a doença, não a pessoa, a causa do comportamento.”

5 – Experimente a música

Às vezes, cantar uma música favorita antiga pode fazer com que alguém se acalme instantaneamente

A Academia Americana de Neurologia recomenda o uso de música para reduzir muitos comportamentos problemáticos. Dizem que é mais eficaz durante as refeições ou o banho. Se você não cantar, toque uma música da coleção antiga.

6 – Avalie constantemente

Saiba como fazer uma análise após um incidente e identificar o que o causou. Pergunte a si mesmo: “’O que posso fazer de diferente na próxima vez, para evitar a reação agressiva?’”,

Aprenda a resolver a reação emocional que você teve como cuidador para entar poder avançar efetivamente.

7 – Procure apoio

Encontrar grupos de apoio e conselheiros para ajudá-lo a lidar é uma das coisas mais importantes que você pode fazer. 

Não apenas você pode se ajudar a lidar com os momentos difíceis, mas algumas das pessoas que você conhece podem ter alguns conselhos úteis sobre como gerenciar a agressão. Alguns bons lugares para começar incluem a Associação de Alzheimer e o Centro de Referência e Educação sobre Doenças de Alzheimer (ADEAR).

Talvez a coisa mais reconfortante sobre a agressão de Alzheimer seja que, para muitos pacientes, é uma fase que passará.

Embora a demência em si seja irreversível e continue a piorar, para muitos pacientes os comportamentos agressivos parecem diminuir com o tempo. 

Como essa é uma fase que pode durar anos, no entanto, tentar esperar sem lidar com os comportamentos geralmente não é uma estratégia eficaz para lidar com o problema.

Para alguns, os desafios de lidar com a agressão de Alzheimer podem se tornar grandes demais, e eles podem decidir que precisam de ajuda especializada. Embora essa nunca seja uma decisão fácil, sabem que fizeram o melhor que puderam e que confiar nos cuidados oferecidos por uma equipe de cuidadores de idosos profissional é a escolha mais inteligente. Se este for o caso, entre em contato conosco através dos meio de contato abaixo:

KeepHome Cuidador de Idosos RJ
Site Oficial: https://keephome.com.br/
Endereço da Matriz: Rua da Assembléia, 10, sl 3111, Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20011-901, Brasil
Telefone: (21) 2739-6723
Mapa: 

Observar sinais de doença em um ente querido pode ser um desafio. Algumas doenças aparecem claramente, enquanto outras têm um efeito mais sutil na vida diária. A desidratação, dependendo da gravidade, às vezes cria apenas pequenos sinais reveladores, enquanto exerce um grande efeito sobre o corpo, principalmente em idosos.

A desidratação em idosos ocorre quando uma pessoa perde mais água do que absorve. Um líquido adequado permite ao corpo regular a temperatura através da transpiração, manter a pressão sanguínea e eliminar os resíduos corporais. Se suficientemente grave, a desidratação pode levar a confusão, fraqueza,  infecções do trato urinário, pneumonia, escaras em pacientes acamados ou até a morte. De um modo geral, os seres humanos não podem sobreviver mais de quatro dias sem água.

Causas de Desidratação em idosos 

A desidratação de idosos é especialmente comum por várias razões:

Medicamentos

Não é incomum que os idosos tomem vários medicamentos a qualquer momento. Alguns deles podem ser diuréticos, enquanto outros podem fazer com que os pacientes suem mais.

Diminuição da sede

A sensação de sede de uma pessoa se torna menos aguda à medida que envelhece. Além disso, idosos frágeis podem ter mais dificuldade em levantar-se para tomar uma bebida quando estão com sede ou podem contar com cuidadores que não conseguem sentir que precisam de líquidos.

Função renal diminuída

À medida que envelhecemos, nosso corpo perde a função renal e é menos capaz de conservar líquidos (isso é progressivo a partir dos 50 anos, mas se torna mais agudo e perceptível aos 70 anos). 

Doenças 

Doenças como vômitos e / ou diarréias podem rapidamente causar desidratação em idosos.

O mito de “8 copos de água” por dia

“Todo mundo tem um estado normal de água corporal que se relaciona com o seu peso. Qualquer coisa abaixo disso (estado normal) é desidratação; tudo acima dela é hiperidratação ”, explica o Dr. Larry Kenney, professor de fisiologia e cinesiologia da Penn State University.

Esse nível normal de hidratação varia muito de pessoa para pessoa. Ao contrário do mantra de que todos deveriam beber oito copos de água todos os dias, Kenney diz que não há nada científico para sustentar isso. “As pessoas interpretaram mal isso, tinha que ser líquido e tinha que ser água”, diz ele.

A dieta de uma pessoa pode afetar muito os níveis de hidratação: 

  • frutas (especialmente melancia), 
  • legumes
  • e sopas são principalmente à base de água.

“Dia após dia, muitas pessoas recebem água dos alimentos, bem como atitudes comportamentais em relação à comida”, explica Kenney. “Por exemplo, quando passamos por uma fonte de água, tendemos a tomar uma bebida e a beber quando comemos”.

Kenney também discorda da ideia de não beber bebidas com cafeína porque elas estão desidratando. Ele diz que a quantidade de cafeína em uma xícara de café ou chá é relativamente pequena e, de qualquer maneira, é feita principalmente de água, por isso ficará hidratado em algum grau. O mesmo vale para a cerveja, diz ele, mas há um ponto em que o efeito diurético da cafeína e do álcool entra em ação, portanto a moderação é sempre a chave.

Em geral, as pessoas maiores precisam beber mais água, assim como os atletas e os que transpiram muito, mas isso pode significar mais ou menos que oito copos por dia. “Não existe um remédio único para todos”, diz ele.

Rastreando a Hidratação 

Em vez disso, ele recomenda monitorar o peso corporal para acompanhar os níveis de hidratação. Para monitorar o peso corporal, o idoso deve ser pesado todas as manhãs. Se eles perderam dois quilos ou mais no dia anterior, e especialmente se sentirem sede ou dor de cabeça, provavelmente estão desidratados.

  • Desidratação leve é ​​definida como perda de 2% do seu peso corporal. 
  • Desidratação grave ocorre com perda de peso corporal de 4% ou mais. 

Mesmo uma desidratação leve pode afetar a saúde de uma pessoa, principalmente se ela já tiver problemas cardíacos ou renais. “Medimos no laboratório o comprometimento cognitivo”, diz ele. “Com desidratação grave, coloca uma pressão maior no coração. Pense em uma bomba tentando bombear com menos fluido. Esse seria um dos principais problemas. ”

Kenney diz que uma pessoa ativa de 65 anos que se exercita provavelmente não precisa se pesar todos os dias, mas uma mulher de 75 anos em um lar de idosos que teve problemas com desidratação no passado ou teve problemas cardíacos deveria ser pesado todos os dias.

Mas não confie em escalas que também pretendem medir os níveis de hidratação e índice de massa corporal (IMC). “A precisão deles é muito baixa; não podemos usá-los nem para fins de pesquisa ”, afirma Kenney.

Para complicar, os sinais de desidratação nas pessoas mais jovens nem sempre aparecem nos idosos. Por exemplo, se um jovem estava extremamente desidratado, sua pele pode estar enrugada ou flácida. Mas isso certamente não seria percebido na maioria dos casos de desidratação de idosos.

SINAIS DE DESIDRATAÇÃO IDOSA

Os sinais de desidratação em idosos podem incluir:

  1. Confusão;
  2. Dificuldade para caminhar;
  3. Tonturas ou dores de cabeça;
  4. Boca seca;
  5. Olhos fundos;
  6. Incapacidade de suar ou produzir lágrimas;
  7. Frequência cardíaca rápida;
  8. Pressão sanguínea baixa;
  9. Baixo débito urinário;
  10. Prisão de ventre.

Se você suspeitar de desidratação em um ente querido idoso, poderá verificar uma diminuição no turgor cutâneo puxando a pele na parte de trás da mão por alguns segundos; se não voltar ao normal quase imediatamente, a pessoa é desidratada.

Prevenção da desidratação em idosos

Para ajudar a garantir que seu ente querido não sofra de desidratação, verifique se ele consome uma quantidade adequada de líquidos durante o dia; come alimentos saudáveis ​​e com conteúdo de água, como frutas, legumes e sopas; verifica se a cor da urina é clara e a saída é adequada (urina escura ou pouca frequência de micção é um sinal clássico de desidratação).

Os idosos também precisam ser educados para beber, mesmo quando não estão com sede. Manter uma garrafa de água ao lado da cama ou de sua cadeira favorita pode ajudar, especialmente se eles tiverem problemas de mobilidade.

Se o seu ente querido estiver em um lar de idosos ou outro centro de assistência, certifique-se de que a equipe tenha um programa de hidratação que inclua ajudar os residentes a beber, oferecer uma variedade de bebidas e fornecer bebidas não apenas nas refeições, mas entre as refeições. Também verifique se eles monitoram o peso dos residentes e os avaliam se sua condição física ou estado mental mudar. Se a desidratação é um problema e seu ente querido toma laxantes ou diuréticos, fale com o médico sobre a mudança de medicamento. Como na maioria das doenças, a prevenção é a chave. 

Entre em contato conosco:

KeepHome Cuidador de Idosos RJ
Site Oficial: https://keephome.com.br/
Endereço da Matriz: Rua da Assembléia, 10, sl 3111, Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20011-901, Brasil
Telefone: (21) 2739-6723

Mapa:

A depressão em idosos é uma doença mental que atinge muitos idosos.

De acordo com uma pesquisa feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)  a população de idosos está cada vez mais extensa na pirâmide etária, a taxa de idosos depressivos também vem ficando cada vez mais alta. 

A depressão em idosos atinge 15% da população que convivem com seus familiares e chega a atingir 50% da população idosa que estão hospitalizados ou deixados em asilos. 
Neste artigo iremos ajudar você a descobrir os sintomas de que seu idoso pode estar passando pela depressão e como fazer com que ele vença essa doença mental da melhor forma possível.

Antes de continuarmos com o artigo é importante saber que a depressão em idosos são causadas por pequenos fatores que podem influenciar bastante na vida emocional de um idoso, seja de um devido afastamento de amigos ou parente próximos até uma notícia de uma possível doença.

A depressão em idosos atinge a população idosa na faixa de 60 a 64 anos. Alguns pesquisadores explicam que na terceira idade as pessoas acabam ficando mais vulneráveis à depressão pela chegada de doenças, e a rejeição de alguns familiares pode ser o responsável pelo aparecimento da doença no início da velhice.

Reconhecendo os sintomas da depressão em idosos

Segundo Djavan Marques, diretor da KeepHome, empresa de cuidador de idosos no Rio de Janeiro, para sabermos se seu idoso está com sintomas de uma possível depressão é necessário analisar alguns sintomas que podem ou não estar aparentes. Os sintomas de um idoso depressivo são diversos, um dos sinais mais notórios é o isolamento e a tristeza.

Dentre muitos relatos e pesquisas sobre depressão em idosos, é visto que muitos idosos se queixam ou se isolam por pensarem que agora seus familiares o verão como um fardo, trazendo assim profunda tristeza e sentimento de rejeição por parte de sua família.

Esta mudança de comportamento muitas das vezes são percebidas por familiares que convivem mais próximo ao terem percebido essa mudança  é necessário que os cuidados tanto dos médicos responsáveis pelo idoso quanto da família devem ser redobrados pois já podem estar identificando a chegada da depressão.

Vamos analisar os sintomas de uma maneira mais prática:

Principal sintoma de depressão em idosos: humor alterado

  • Tristeza: muitos idosos se sentem triste por acharem que estão sendo um fardo para sua família;
  • Desânimo: acabam perdendo a vontade de viver, fazer certos hábitos que era costume fazer;
  • Irritabilidade: se estressam facilmente, essa doença atinge seu sistema nervoso fazendo com que alguns fiquem agressivos;
  • Sentimentos de abandono: se sentem rejeitados por seus familiares;
  • Idéias de morte: seus pensamentos começam a ser idéias de como se matar;
  • Tentativas de suicídio: muitos idosos cometem suicídio com o pensamento de que é o melhor a se fazer.

Sintomas psicóticos

  • Idéias paranóides: são os pensamentos de suspeitas, desconfiança de amigos ou parente como se estivessem tramando algo de ruim para ele;
  •  Delírios de morte: é caracterizado como uma doença mental onde o idoso não se sente vivo, começa a se isolar das pessoas, perde o interesse em se cuidar, fica triste constantemente, o idoso se sente um morto, como se já estivesse putrificado.

Sintomas cognitivos

  •  Dificuldades de concentração: o idoso passa a ter dificuldades para se concentrar no trabalho, estudos e outras coisas;
  •  Perda de memória: começa o processo de esquecimento de pessoas, lugares e objetos;
  •  Insegurança: o idoso passa a sentir sentimento de inferioridade, sentindo que não é bom o suficiente;
  •  Sensação de fadiga: se sente facilmente cansado, perde as energias;
  •  Perda de energia: perde a disposição para fazer determinadas coisas.

Como prevenir a depressão na terceira idade

Agora que sabemos os sintomas de um idoso depressivo é hora de agirmos.

As melhores iniciativas a serem tomadas é ajudá-lo a sentir vontade de viver novamente, despertar o desejo de conhecer novas pessoas, lugares, de criar dentro de si o desejo de querer realizar seus sonhos ou projetos que foram sido deixados de lado pela chegada da depressão.

Sabemos bem que a chegada desta doença na terceira idade é uma questão que precisa ser tratada com muitos cuidados,tanto cuidados medicinais quanto aos cuidados da família.

Esses pequenos cuidados irão dar um grande resultado com o passar do tempo.

 O idoso deve se sentir mais feliz e amado no lar em que vive,deve sentir-se abraçado. Uma ótima idéia também é criar um animal de estimação pois isso o ajudará a demonstrar seu amor que tem a oferecer. Existem muitos fatores que podem colaborar para ajudar a prevenir a depressão em idosos

Temos aqui uma pequena lista de coisas que você pode fazer para ajudar seu idoso à prevenir a depressão.

  1. Visitar novos lugares como parques, bibliotecas, praças;
  2. Se reunir com amigos, fazer atividades físicas;
  3. Entrar em cursos gratuitos do interesse do idoso;
  4. Entrar em grupos de dança, ginástica ou algum esporte.
  5. Realizar encontros em família, tratá-lo com muito amor;
  6. fazê-lo se sentir importante e amado.

Veja abaixo os cuidados e tratamentos medicinais mais comuns de serem encontrados no mercado:

PSICOTERAPIA

 A psicoterapia é uma das formas que pode ajudar a melhorar a vida de um idoso, que funciona como uma sessão de terapia para os ajudar.Quando eles chegam e começam a falar, maior parte de suas reclamações são sobre abandono e depressão da parte de amigos ou parente.

Terapias de exercícios

 A terapia de exercícios vem ajudando muitos idosos a restaurar as forças, habilidades e capacidades do paciente, esta terapia ajuda para que seu desempenho no trabalho fique mais fácil, em atividades de lazer ou em casa, o ajudando a ter uma melhora de vida.

Terapia eletroconvulsiva

 É um tratamento efetivo para tipos de doenças mais graves, como por exemplo pacientes que tenham transtornos depressivos graves.

Esse tratamento psiquiátrico, faz com que sejam provocada as alterações na atividade elétrica do cérebro.

 Nos dias de hoje esse método é usado frequentemente em casos mais graves de depressão, na qual também é usada em casos de esquizofrenia, epilepsia e entre outras doenças graves. Esse tipo de tratamento é utilizado por meio de anestesia geral.

ANTIDEPRESSIVOS

Dentre alguns tratamentos que vemos, não podemos nos esquecer dos antidepressivos, que de acordo com a pesquisa de alguns pesquisadores analisaram que os antidepressivos é uma das melhores opção de tratamento.

 Ainda que os antidepressivos possam tratar positivamente a depressão em idosos, vale lembrar que eles também podem trazer certos riscos a saúde.

De acordo com o jornal G1 alguns pesquisadores investigaram os riscos que esses tratamentos antidepressivos podem trazer e entre alguns paciente muitos deles apresentavam problemas com diabetes e problemas no coração causados por certos medicamentos.

Por isso vale ressaltar que antes de utilizar qualquer um desses tratamentos ou outros é importante buscar orientação de um médico profissional, pois o que está em jogo é a saúde 

física de um ser humano. Antes de tomar qualquer iniciativa consulte um especialista, a depressão em idosos pode ser algo muito perigoso se não for devidamente tratada do modo certo.

Conclusão

Vimos então neste artigo as diversas formas de ajudar um idoso a vencer a depressão,todos esses cuidados pode ajudar para que o idoso tenha uma vida melhor.

Devemos tratar nossos idosos da melhor forma possível, sempre com muito amor e zelo, pois mesmo que pareçam fortes e independentes,são pessoas que precisam do nosso amor e compreensão. 

Cuidados com idosos diabéticos precisam ser conhecidos por quem será responsável pelo acompanhamento diário desse tipo de pessoa.

A diabetes é uma doença que envolve um hormônio chamado insulina e sua regulação. Na diabetes, o corpo não produz insulina suficiente ou não responde à insulina que produz da maneira habitual. Como resultado, a pessoa tem níveis elevados de açúcar no sangue.

A doença afeta cerca de uma em cada cinco pessoas com idade acima de 65 anos. Os adultos mais velhos podem desenvolver diabetes tipo 1 (dependente de insulina) ou tipo 2 (não dependente de insulina). No entanto, a maioria das pessoas idosas com diabetes tem tipo 2.

Inicialmente, o paciente pode controlar a diabetes mudando sua dieta e hábitos de exercício. No entanto, o idoso pode eventualmente precisar tomar comprimidos ou insulina – mesmo que tenha diabetes tipo 2. Conversar com o médico sobre quais os medicamentos contra diabetes serão os indicados para o tratamento é um ponto importante.

Seguir uma dieta adequada é somente um dos pontos que precisam ser seguidos pelo cuidador do idoso com diabetes, o conhecimento é a arma mais importante para exercer a função com sucesso.

Na velhice, o diabetes está associado a complicações adicionais de saúde, incluindo o costume hipocondríaco, dor crônica, quedas, demência, incontinência  e depressão, além de complicações vasculares tradicionais. Portanto, o atendimento de pessoas idosas com diabetes é um desafio.

Diagnóstico e apresentação clínica

O diagnóstico de diabetes é semelhante em todos os grupos etários. No entanto, em até 50% dos idosos, pode não haver sintomas óbvios da doença. Os sintomas também podem ser pouco específicos, entendidos como doença geral, cansaço ou falta de energia, e podem ser atribuídos ao envelhecimento, levando ao atraso no diagnóstico. Uma mudança na memória ou uma queda inexplicável pode ser o primeiro sintoma do diabetes.

Portanto, a verificação de sinais de diabetes em pessoas idosas deve ser considerada em todas as oportunidades disponíveis, por exemplo: no hospital, na casa de repouso ou em uma consulta com um clínico geral nos cuidados de rotina.

Os casos de demência, hipoglicemia e fragilidade aumentam em pessoas idosas com diabetes e, se não tratados, podem levar a um ciclo vicioso de deterioração da capacidade física. Portanto, além dos cuidados de rotina com o diabetes, relevantes para os mais jovens, deve-se ter uma consideração especial para abordar essas complicações únicas em pessoas idosas.

A diabetes na velhice pode estar relacionada com um grave declínio na capacidade física. As principais causas incluem:

  • perda de massa muscular;
  • neuropatia periférica (lesão do nervo nos pés e nas mãos);
  • acidente vascular cerebral,
  • depressão;
  • hipoglicemia;
  • demência;
  • fragilidade e doença vascular periférica (má circulação sanguínea).
  • Outros sinais podem incluir uma amplitude limitada de movimento nos ombros e menos força e sensação na mão que poderiam levar a uma menor capacidade de realizar tarefas normais do dia-a-dia.

 

Caso não se sinta preparado há a possibilidade de contratar um profissional experiente para os cuidados com seu ente.

A Keep Home é uma agência de cuidador de idosos que conta com profissionais capacitados para cuidar bem de seu ente querido, localizada no Rio de Janeiro. Visite nosso site e conheça nossos serviços!

 

 

 

Cuidado com idosos acamados é um assunto que gera muita preocupação em quem se torna responsável pela tarefa.

Cuidar de alguém que necessita de um atendimento especial acarreta muitas responsabilidades por parte do cuidador, que por vezes, precisa estudar e se munir de informações sobre o tema.

Os cuidados com os idosos acamados são muito específicos e precisam ser seguidos de forma metódica para garantir bons resultados para o paciente.

Estar acamado é uma situação que coloca o indivíduo mais velho em condição vulnerável e por isso, ter uma pessoa preparada para exercer essa função é de extrema importância!

O respeito é algo que não pode faltar no relacionamento do cuidador com o paciente. Um convívio tranquilo e respeitoso gera um ambiente agradável e sadio para o idoso, que se refletirá na sua saúde.

Não é por estar doente que o idoso deve ser tratado de forma impessoal. Chamá-lo pelo nome,  fazer perguntas sobre assuntos que sejam agradáveis para ele e, principalmente, deixá-lo falar é algo fundamental para a regulação emocional dele!

Em alguns momentos o idoso pode se sentir como um fardo para aqueles que cuidam dele, nesse momento é importante demonstrar que cuidar não é um fardo, mas uma forma de manifestar carinho por alguém especial!

Pacientes acamados: cuidados regulares

Por ter que permanecer a maior parte do tempo deitado, o paciente acamado precisa de um colchão especial para evitar o aparecimento de úlceras por pressão. Essas lesões surgem pela falta de rotatividade na posição do paciente. O cuidador de idosos precisa mudar a posição do atendido durante o dia para evitar o aparecimento dessas lesões.

A higienização das roupas pessoais e de cama precisa ser realizada com muito cuidado e atenção. Passá-las antes de colocar em uso é recomendável.

Preservar o idoso na hora do banho. Ninguém gosta de ser exposto nu aos olhares das pessoas. O paciente pode estar acamado,mas a preservação de sua intimidade deve ser priorizada sempre!

Usar bons produtos de higiene e cuidado. Manter os cuidados como: hidratação da pele, cuidados com os cabelos e unhas são fatores positivos para a autoestima do ancião e isso é muito relevante!

Os cuidados com idosos acamados são muito pontuais e, se seguidos à risca, garantem a saúde e o bem estar não só do idoso, mas de todos que convivem com ele.

Tratar de um idoso requer uma postura responsável e tranquila para que o atendido possa receber o tratamento adequado, refletindo assim em seu exterior.

Um atendimento profissional garante ao atendido um cuidado eficiente e uma rotina satisfatória, por isso contratar um cuidador profissional pode ser a melhor opção para a família.

Na hora de cuidar de alguém especial não se deve pensar em despesas e sim no quanto é importante fornecer um cuidado apropriado para o seu idoso. Economizar nesses momentos não é um bom negócio!

Caso não se sinta preparado há a possibilidade de contratar um profissional experiente para os cuidados com seu ente.

A Keep Home é uma agência de cuidador de idosos que conta com profissionais capacitados para cuidar bem de seu ente querido, localizada no Rio de Janeiro. Visite nosso site e conheça nossos serviços!

Quanto custa um cuidador de idosos? O envelhecimento da população exigiu uma resposta eficiente em relação aos cuidados com a população da terceira idade e nesse cenário, a figura do cuidador de idosos surge como a solução para um dia a dia mais seguro para os pacientes maduros.

Pacientes idosos apresentam algumas características que precisam ser entendidas e trabalhadas de maneira à ofertar uma rotina adaptada e satisfatória ao atendido. Ter um profissional por perto confere uma vida mais tranquila para o idoso e sua família.

Os perfis das famílias mudaram e isso acarretou uma cobrança por parte da sociedade em relação aos serviços disponíveis no mercado. Saber quanto custa um cuidador de idosos não fazia parte das preocupações das pessoas há algum tempo atrás, mas hoje é uma realidade incontestável para muitas delas!

A modernidade trouxe melhoria na qualidade de vida das pessoas e isso aumentou a permanência das pessoas no mercado de trabalho e a diminuição considerável no número de filhos. Uma família com filho único, por exemplo, se vê impotente quando precisa cuidar de um ente da terceira idade e por isso, a opção de contratar um cuidador de idosos é a escolha mais acertada.

O serviço de acompanhante de idosos, por muito tempo foi exercido pelas empregadas domésticas, que se revezavam entre os cuidados com a casa e o idoso, mas o surgimento do profissional de home care veio para preencher essa lacuna. Cuidar de um paciente idoso não deve ser visto como algo irelevante,pois a saúde do atendido pode correr riscos, caso não haja alguém especializado no comando.

Contratar um cuidador de idosos é um passo que deve ser tomado cercado de cuidados para evitar transtornos futuros. O profissional cuidador não fornece um serviço médico, ele atua como acompanhante, ajudando nas atividades diárias para que o paciente tenha segurança e tranquilidade em sua rotina. Uma conversa no meio da tarde, um passeio pela vizinhaça ou a leitura compartilhada de um bom livro são opções de atividades que podem tornar a vida do atendido mais prazerosa e produtiva.

Uma queixa comum entre os pacientes idosos é o fato de se sentirem sozinhos e sem atividades ou passatempos. Um bom cuidador consegue analisar o perfil do atendido, assim como suas preferências para estimulá-lo a realizar aquilo que for saudável e adequado para a idade.

Responsabilidades de um cuidador

O trabalho de um cuidador envolve uma gama de tarefas importantes para o bem estar do paciente, por isso a contratação de um profissional qualificado deve acontecer baseada em transparência e honestidade, além do conhecimento das certificações necessárias. Uma agência de cuidadores de idosos pode ser a resposta mais acertada nesse momento por fornecer toda a garantia em relação ao contratado.

Entre os serviços que devem ser prestados pelos cuidadores estão: acompar a alimentação do paciente observando a dieta prescrita, cumprir os horários da medicação, cuidar da higiene pessoal do paciente, acompanhar os passeios cuidando para que não sofra nenhum acidente ou seja vítima de algum tipo de violência. Dentro de casa o trabalho continua, com a atenção aos movimentos e a passagem pelos cômodos.

Os pacientes que têm doenças mais graves e, consequentemente, necessitam de um atendimento mais regular, podem encontrar na agência de cuidadores de idosos a opção mais adequada para a demanda. A escolha por um cuidador folguista, noturno ou plantonista vai depender do quadro do paciente a ser atendido e por isso, uma entrevista prévia é realizada para que a família possa ser informada da opção correta.

Quanto custa um cuidador de idosos?

Saber quanto custa um cuidador de idosos é fator importante, mas o valor não deve ser considerado decisivo na hora da escolha final. Contratar um profissional para cuidar de um parente ou familiar requer algumas análises e interpretações que não podem ser mensuradas em moeda corrente.

O tipo de necessidade do idoso vai definir qual a melhor opção de contratação. Algumas empresas oferecem um pacote profissional completo assumindo a responsabilidade pelo serviço prestado, como a KeepHome. Os valores referentes aos serviços de uma cuidadora variam entre R$ 150,00 a R$ 6 mil mensal. O salário de um cuidador de idosos varia muito dependendo das solicitações do contratante, que pode exigir um profissional com uma habilidade fora da curva ou uma carga horária diferenciada, como no caso de pacientes que demandam cuidados 24 horas – inclusive nos finais de semana e feriados, por exemplo.

Ter em mente o tipo de cuidador que se deseja contratar é fundamental para uma prestação eficaz. O serviço de um cuidador de idosos atende à famílias que não têm condições de cuidarem sozinhas de seus parentes da terceira idade, inclusive quando esses apresentam limitações físicas ou distúrbios mentais. Para quem decide manter o idoso em casa, a contratação do cuidador será um investimento positivo e bastante satisfatório.

Vale reforçar as atribuições do cuidador:

  • Ter um nível acadêmico adequado – apresentar domínio de leitura, escrita e boa interpretação de texto.
  • Cuidar da segurança do idoso com atenção.
  • Cuidar da hidratação da pele, oferecendo água ao longo do dia. Trabalhar evitando o aparecimento de lesões, já que a pele do idoso é mais frágil.
  • Prevenir o surgimento de escaras. É comum, em idosos acamados, o aparecimento frequente desse tipo de lesão, ocasionada pela falta de mudança de posição no leito.
  • Cuidar do vestuário.
  • Administrar com atenção os medicamentos prescritos nos horários estipulados pelo médico.
  • Manter a higiene do idoso em dia, auxiliando nas tarefas de escovação dos dentes e cabelos, além da cuidar das unhas e depilações necessárias..
  • Auto controle em momentos mais difíceis. Saber manter a calma nos dias em que o idoso estiver mais agitado.
  • Estimular o lazer e a realização de atividades que tornem o paciente mais produtivo.
  • Comunicar aos familiares qualquer anormaildade ocorrida na rotina.
  • Buscar cumprir os horários, sem atrasos ou faltas.

Quando for contratar um profissional ou começar a pesquisa para saber quanto custa um cuidador de idosos, o cliente deve procurar o auxílio de uma agência especializada no serviço.

Quer saber como resolver tudo isso?

Entre em contato conosco

A KeepHome é Agência de Cuidador de Idosos que está sempre pronta para atender a sua solicitação com profissionais capacitados no cuidado como idoso!

Cuidados com idosos com incontinência urinária é uma questão muito relevante para quem atende esse público e envolve muito mais que técnica, exige muito de afetividade e compreensão por parte do cuidador.

Incontinência urinária significa que uma pessoa vaza a urina por acidente. Embora possa acontecer a qualquer um, a incontinência urinária é mais comum em pessoas idosas, especialmente mulheres. A incontinência geralmente pode ser curada ou controlada.

O corpo armazena a urina na bexiga e durante a micção os músculos da bexiga se apertam para mover a urina para um tubo chamado uretra. Ao mesmo tempo, os músculos ao redor da uretra relaxam e deixam a urina sair do corpo, mas quando os músculos não funcionam como deveriam a urina pode vazar. A incontinência geralmente ocorre se os músculos relaxarem sem aviso prévio.

Causas da incontinência urinária

A incontinência pode acontecer por vários motivos. Por exemplo, infecções no trato urinário , infecção vaginal ou irritação, constipação . Alguns medicamentos podem causar problemas de controle da bexiga que duram pouco tempo. Quando a incontinência dura mais tempo, pode ser devido a:

  • Músculos da bexiga fraca
  • Músculos da bexiga hiperativa
  • Músculos do assoalho pélvico fracos
  • Danos aos nervos que controlam a bexiga de doenças como esclerose múltipla, diabetes ou doença de Parkinson.
  • Bloqueio de uma próstata aumentada  em homens
  • Doenças como artrite, que dificultam o acesso ao banheiro a tempo.
  • Prolapso de órgãos pélvicos, que é quando os órgãos pélvicos (como a bexiga, o reto ou o útero) saem do seu lugar normal para a vagina. Quando os órgãos pélvicos estão fora do lugar, a bexiga e a uretra não são capazes de funcionar normalmente, o que pode causar o vazamento de urina.

Tipos de incontinência urinária

Há diferentes tipos de incontinência:

  • A incontinência de esforço ocorre quando a urina vaza à medida que ocorre pressão na bexiga, por exemplo, durante o exercício, tossir, espirrar, rir ou levantar objetos pesados. É o tipo mais comum de problema de controle da bexiga em mulheres mais jovens e de meia-idade. Pode começar na época da menopausa.
  • A incontinência de urgência acontece quando as pessoas têm uma necessidade súbita de urinar e não conseguem segurar a urina por tempo suficiente para ir ao banheiro. Pode ser um problema para pessoas que têm diabetes , doença de Alzheimer , doença de Parkinson , esclerose múltipla ou acidente vascular cerebral.
  • A incontinência por transbordamento acontece quando pequenas quantidades de urina vazam de uma bexiga que está sempre cheia. Um homem pode ter problemas para esvaziar a bexiga se uma próstata aumentada estiver bloqueando a uretra. Diabetes e lesões na medula espinhal também podem causar esse tipo de incontinência.

Caso não se sinta preparado há a possibilidade de contratar um profissional experiente para os cuidados com seu ente.

A Keep Home é uma agência de cuidador de idosos que conta com profissionais capacitados para cuidar bem de seu ente querido, localizada no Rio de Janeiro. Visite nosso site e conheça nossos serviços!

 

 

 

Cuidado a idosos com Alzheimer exige o conhecimento de algum as informações para que o paciente se sinta atendido plenamente.

O Alzheimer é uma patologia que ganhou espaço nas rodas de conversa das famílias devido ao número de pacientes que manifestaram a doença nos últimos tempos.

Cuidar de alguém que tenha a doença de Alzheimer é assumir a responsabilidade de acompanhar alguém, que a cada dia dependerá mais de você.À medida que a doença progride, a capacidade do paciente idoso de gerenciar as tarefas diárias irá diminuir, tornando o papel do cuidador cada dia mais fundamental!

Considerar algumas dicas práticas para ajudar a manter um senso de independência e dignidade à medida que ele ou ela se tornar mais dependente, pode funcionar muito bem para todos os envolvidos no processo.

Reduzindo as frustrações

Uma pessoa com doença de Alzheimer exige cuidados mais especializados. Se você vai cuidar de alguém com Alzheimer veja essas dicas:

  • Agende com sabedoria.Estabeleça uma rotina para tornar cada dia mais agradável ao idoso. Pessoas com doença de Alzheimer ainda podem aprender e seguir rotinas, mas sem muita pressão. Geralmente, é melhor agendar tarefas, como banhos ou consultas médicas, quando a pessoa está mais alerta e atualizada. Deixe alguma flexibilidade dentro da rotina para atividades espontâneas.
  • Não tenha pressa.Esteja preparado para que as coisas demorem mais do que costumavam. Permita que a pessoa com doença de Alzheimer tenha intervalos frequentes. Agende mais tempo para as tarefas, para que você não precise apressá-lo.
  • Envolva a pessoa.Permita que o idoso faça o máximo possível com o mínimo de ajuda. Por exemplo, pessoas com a doença de Alzheimer podem ser capazes de arrumar a mesa com a ajuda de dicas visuais ou vestir-se independentemente, se você colocar as roupas na ordem em que elas vão ser vestidas.
  • Forneça escolhas.Poucas opções devem ser dadas, pois dão à pessoa com a doença de Alzheimer mais facilidade para escolha. Por exemplo, forneça duas roupas para escolher, pergunte se ele prefere uma bebida quente ou fria ou pergunte se prefere dar uma caminhada ou assistir a um filme.
  • Forneça instruções simples.As pessoas com doença de Alzheimer entendem melhor a comunicação clara em uma etapa.
  • Reduza as distrações.Desligue a TV e minimize outras distrações na hora das refeições e durante as conversas para facilitar o foco da pessoa com a doença de Alzheimer.
  • Seja flexível! Com o tempo, uma pessoa que vive com demência se tornará mais dependente. Mas há muita coisa que você pode fazer para maximizar a qualidade de suas interações e reduzir a frustração. Tente se manter flexível e adaptar sua rotina e expectativas conforme necessário. Por exemplo, se o idoso começar a insistir em usar a mesma roupa todos os dias, considere comprar algumas roupas idênticas. Se o banho é recebido com resistência, considere fazê-lo com menos frequência. Relaxar as suas expectativas pode ir muito longe em relação ao autocuidado e ao bem-estar.
  • Crie um ambiente seguro. A doença de Alzheimer prejudica a mobilidade e as habilidades de tomada rápida de decisões. Prepare um ambiente acessível e que promova a segurança do longevo.
  • Evite quedas.Evite tapetes de dispersão, cabos de extensão e qualquer desordem que possa fazer com que o paciente tropece ou caia. Instale corrimãos ou barras de apoio em áreas críticas.
  • Use bloqueios.Instale fechaduras em armários que contenham qualquer coisa potencialmente perigosa, como medicamentos, álcool, substâncias tóxicas de limpeza, utensílios e ferramentas perigosas.
  • Verifique a temperatura da água.Abaixe o termostato no aquecedor de água quente para evitar queimaduras.

Foco no cuidado individualizado

Cada pessoa com doença de Alzheimer irá apresentar os seus sintomas e progressão de forma diferente. Consequentemente, as técnicas de cuidado precisam variar. Adapte estas dicas práticas às necessidades individuais do seu ente querido.

Lembre-se, as respostas e comportamentos do seu ente querido podem ser diferentes do que costumavam ser. Paciência e flexibilidade – juntamente com um bom autocuidado e o apoio de amigos e familiares – podem ajudá-lo a lidar com os desafios e as frustrações à frente.

Caso não se sinta preparado há a possibilidade de contratar um profissional experiente para os cuidados com seu ente.

A Keep Home é uma agência de cuidador de idosos que conta com profissionais capacitados para cuidar bem de seu ente querido, localizada no Rio de Janeiro. Visite nosso site e conheça nossos serviços!

 

Cuidar de uma pessoa idosa não é fácil, por isso se munir de conhecimento a respeito do tema é muito importante.

Fontes de informações para cuidar bem de um idoso não faltam: a internet oferece muitas possibilidades, mas é preciso ficar atento à confiabilidade dessas fontes.

É preciso entender que alguém na terceira idade necessita de alguns cuidados específicos, que farão diferença no dia a dia do idoso.

Quando um familiar se encontra em situação de vulnerabilidade ou entra na idade de cuidados mais atenciosos, o responsável por essa pessoa deve olhar o ambiente, os móveis, os utensílio e as demais coisas com olhos atentos e treinados para que acidentes e   desconfortos sejam evitados.

Uma casa acolhedora, ambientes planejados e pensados para facilitar a mobilidade do idoso e uma pessoa treinada  e responsável para a tarefa farão do projeto de cuidado aos mais velhos uma realidade possível!

Os cuidados com idosos no domicílio devem ser assimilados por todos, que direta ou indiretamente tiverem contato com o indivíduo cuidado.

Atitudes que facilitam o dia a dia do idoso

  • Investir em um piso que não derrape – para evitar escorregões – será um ponto a favor de quem precisa velar pela saúde do idoso.
  • Colocar suportes para que o idoso possa se locomover pela casa de modo mais independente.
  • Cuidar para que haja uma iluminação adequada nos cômodos.
  • Priorizar um ambiente calmo e tranquilo, com poucas pessoas circulando.
  • Verificar o banheiro antes do momento do banho do ancião, para que não tenha nada que possa ocasionar acidentes.
  • Cuidar das roupas, colchões e travesseiros de forma diferenciada para que a higiene seja mantida adequadamente.
  • Velar pela alimentação do idoso para que diariamente os nutrientes e vitaminas sejam repostos de maneira eficiente.

Outros cuidados relevantes

  • Uma vida saudável começa pela mente e por isso investir em passatempos, artesanatos e leituras pode ser um bom exercício para manter a mente do idoso ativa.
  • Fazer exercícios físicos leves. Uma rotina de exercícios, além de fazer bem para o corpo tornará o dia mais produtivo e agradável para o ancião.
  • Brincar! Brincar pode ( e deve ) fazer parte da rotina do idoso! Um jogo improvisado, ou que esteja disponível no mercado, pode trazer lembranças agradáveis ao longevo.
  • Música. Cantar é sempre uma boa opção e criar uma trilha sonora com a ajuda do idoso vai garantir momentos alegres e descontraídos que se perpetuarão a cada nova sessão musical!
  • Garantir gargalhadas. Os cuidados com o idoso em domicílio são inúmeros, mas pequenos detalhes funcionam como motivadores para os mais velhos. Fazer rir é um ótimo remédio. Vale tudo, desde piadas à cenas engraçadas!
  • Demonstrar carinho e afeto. É imprescindível que o idoso se sinta amado. Sentir-se querido é muito bom e isso se reflete na saúde.

 

Atento a esses cuidados, a pessoa que cuidará do idoso em casa conseguirá alcançar bons resultados! Caso não se sinta preparado há a possibilidade de contratar um profissional experiente para os cuidados com seu ente.

Caso não se sinta preparado há a possibilidade de contratar um profissional experiente para os cuidados com seu ente.

A Keep Home é uma agência de cuidador de idosos que conta com profissionais capacitados para cuidar bem de seu ente querido, localizada no Rio de Janeiro. Visite nosso site e conheça nossos serviços!

Cuidados com idosos com incontinência urinária é uma questão muito relevante para quem atende esse público e envolve muito mais que técnica, exige muito de afetividade e compreensão por parte do cuidador.

Incontinência urinária significa que uma pessoa vaza a urina por acidente. Embora possa acontecer a qualquer um, a incontinência urinária é mais comum em pessoas idosas, especialmente mulheres. A incontinência geralmente pode ser curada ou controlada.

O corpo armazena a urina na bexiga e durante a micção os músculos da bexiga se apertam para mover a urina para um tubo chamado uretra. Ao mesmo tempo, os músculos ao redor da uretra relaxam e deixam a urina sair do corpo, mas quando os músculos não funcionam como deveriam a urina pode vazar. A incontinência geralmente ocorre se os músculos relaxarem sem aviso prévio.

Causas da incontinência urinária

A incontinência pode acontecer por vários motivos. Por exemplo, infecções no trato urinário , infecção vaginal ou irritação, constipação . Alguns medicamentos podem causar problemas de controle da bexiga que duram pouco tempo. Quando a incontinência dura mais tempo, pode ser devido a:

  • Músculos da bexiga fraca
  • Músculos da bexiga hiperativa
  • Músculos do assoalho pélvico fracos
  • Danos aos nervos que controlam a bexiga de doenças como esclerose múltipla, diabetes ou doença de Parkinson.
  • Bloqueio de uma próstata aumentada  em homens
  • Doenças como artrite, que dificultam o acesso ao banheiro a tempo.
  • Prolapso de órgãos pélvicos, que é quando os órgãos pélvicos (como a bexiga, o reto ou o útero) saem do seu lugar normal para a vagina. Quando os órgãos pélvicos estão fora do lugar, a bexiga e a uretra não são capazes de funcionar normalmente, o que pode causar o vazamento de urina.

Tipos de incontinência urinária

Há diferentes tipos de incontinência:

  • A incontinência de esforço ocorre quando a urina vaza à medida que ocorre pressão na bexiga, por exemplo, durante o exercício, tossir, espirrar, rir ou levantar objetos pesados. É o tipo mais comum de problema de controle da bexiga em mulheres mais jovens e de meia-idade. Pode começar na época da menopausa.
  • A incontinência de urgência acontece quando as pessoas têm uma necessidade súbita de urinar e não conseguem segurar a urina por tempo suficiente para ir ao banheiro. Pode ser um problema para pessoas que têm diabetes , doença de Alzheimer , doença de Parkinson , esclerose múltipla ou acidente vascular cerebral.
  • A incontinência por transbordamento acontece quando pequenas quantidades de urina vazam de uma bexiga que está sempre cheia. Um homem pode ter problemas para esvaziar a bexiga se uma próstata aumentada estiver bloqueando a uretra. Diabetes e lesões na medula espinhal também podem causar esse tipo de incontinência.

Caso não se sinta preparado há a possibilidade de contratar um profissional experiente para os cuidados com seu ente.

A Keep Home é uma agência de cuidador de idosos que conta com profissionais capacitados para cuidar bem de seu ente querido, localizada no Rio de Janeiro. Visite nosso site e conheça nossos serviços!